Dudude

por Dudude

 

Entrou em um Café, nunca havia estado naquele justo café, simplesmente entrou, sentou em uma pequena mesa próxima a uma grande janela, onde a luz da manhã entrava e desenhava o espaço com definições de um brilho natural, singelo. Ficou um tempo parada sentada na mesa, só seus olhos moviam e capturavam algo que sua alma precisava, não sabia exatamente porque mas ficou ali um tempo bom, em estado de pausa e transe. De repente ouviu uma voz, assustou, teve um lapso de ausência de praticidade, de eficiência e prontidão, estava realmente absorta. Era o garçom, que perguntava se desejava alguma coisa. Ela então disse sim, desejava amor, fraternidade, sinceridade, dignidade, tempo para as coisas tranquilas e uma torta de maça, acompanhada de uma xícara de chá, muitos outros desejos começaram a polvilhar sua mente, ela levantou e assim, sem o menor pudor começou a dançar, enquanto dançava comeu a torta, bebeu o chá , pagou a conta e saiu pela porta afora dançando precisava dançar para produzir alegrias e todas as outras coisas necessárias para viver os dias. Não sei por onde ela anda, ou dança, mas está gravado em mim a dança , e os desejos dela, que imaginei serão meus também….

um corpo entorta
o outro grita impropérios, está raivoso
o outro assenta na primeira cadeira que encontra e aliviado sorri
um sorriso de enfim
outros corpos estão parados feitos postes na rua deserta, continuam em uma espécie de sono
um sono esquecido de vida
um outro corpo longo e desajeitado espreita pela janela o brilho do dia, está em casa e esqueceu dos dias
de repente alguém abre a porta da casa, já não é um mero outro corpo, já é um alguém com uma tímida e corajosa esperança, abre a porta e grita palavras de amor
um amor tão livre e desejoso de chegar aonde quer que seja

abra sua janela, talvez um passarinho cante, uma borboleta passe e você consiga enfim escutar a voz da terra que você mora

eu de minha parte tenho feito isso e todos os dias recebo coisas da ordem da simplicidade, e um outro alguém sussurra em meus ouvidos
tenha fé, força e coragem
as coisas são como são.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *